Wednesday, 27 August 2008

O Regresso dos Coen

Depois do brilhante mas negro No Country For Old Men, os irmãos Coen fazem jus ao “and now for something completely different” dos Monty Python e apresentam Burn After Reading, uma comédia na linha do The Big Lebowski que hoje inaugura a 65.ª edição do Festival de Cinema de Veneza.
Infelizmente vamos ter de aguardar mais uns meses até o filme estrear por terras lusas, uma espera que será difícil a julgar pela sinopse: o filme trata a história de um antigo agente da CIA que perde o disco rígido onde estão gravadas as suas memórias e que vai parar às mãos de dois funcionários de um ginásio que, certos de que se trata de documentos secretos, tentam vender o material com o objectivo de arranjar dinheiro para fazer cirurgias plásticas. A ajudar à festa está um elenco recheado de nomes I swear by, tal como John Malkovich, Frances McDormand, George Clooney, Tilda Swinton e um Brad Pitt com o melhor penteado de sempre…
O trailer é de fazer crescer água na boca:

Monday, 25 August 2008

É o que dá armar-me em chica esperta!!!


Há coisa pior que ter o nosso carro bloqueado e vê-lo a ser rebocado?!?

Sim, há!!! Vê-lo, no espaço de 3 dias de diferença, voltar a ser bloqueado e... prestes a ser rebocado!!!

Porra!!! Não ganho para isto!

Believe in your dreams and they may come true; believe in yourself and they will come true.

Sonhar é bom. Acreditar num sonho é melhor. Concretizar um sonho é exemplar. Podia ser este o moto do projecto Acredita Portugal do meu amigo Paulo e de uma data de antigos colegas meus de liceu.
Trata-se de uma associação sem fins lucrativos cujo objectivo é promover ideias, projectos, incentivar soluções (de qualquer tipo de indústria ou arte) que combatam a ideia de que os sonhos são impossíveis e se alinhem na necessidade de mudar a imagem que temos do nosso país e relançar Portugal como uma potência inovadora e empreendedora.
Em vez de lutar contra uma suposta “crise” económica, devemos antes de mais pôr fim à genuína crise psicológica, que nos prende a uma falta de confiança e onda de negativismo que é preciso inverter.
A associação vai então lançar um concurso para ajudar a concretizar (leia-se, financiar) três sonhos de portugueses. Para promover o projecto, o presidente da fundação José Miguel Queimado já deu a volta a Portugal… a pé! Andou 800 quilómetros, de Caminha a Sagres, com o objectivo de apurar o sentimento empreendedor dos portugueses.
Mas agora é que começa a verdadeira maratona, a de apelar à solidariedade dos portugueses para se juntarem por detrás dos sonhos daqueles que merecem o apoio que a associação pretende prestar.
Basta inscreverem-se em http://www.acreditaportugal.org/ e apresentarem um projecto que vá de encontro com os princípios da associação. Confiem, não há marosca nem esquema: é um projecto que, para além de nobre e louvável, é fidedigno e legit. Se não forem dados a quimeras, podem sempre dar o vosso patrocínio… ou arranjar quem o possa dar!
Believe and act as if it were impossible to fail”, Charles F. Kettering

Just Beat It!

No dia 6 de Setembro podem encontrar-me pelos lados do Plano B, na Invicta, para o primeiro festival Beat It, que tem como cabeça de cartaz os Ladytron.
A não perder

E para inaugurar a wishlist desta semana…

… está o novo álbum You & Me dos nova-iorquinos The Walkmen.Estes senhores conquistaram-me há já uns 3 ou 4 anos com a mais-que-perfeita The Rat, seguramente uma das melhores músicas que alguma vez ouvi e consta invariavelmente do meu Top 10.
Conta a Pitchfork do You & Me: “it's the first that fully commits to their seductive, eminently soused-sounding late night sulk. […] You & Me isn't as hard or immediate as the band's earlier records, but that's not a complaint; its sound is coy, and invites you to spend time with it. Its lyrics are direct and its pleasures are simple […]. While the Walkmen likely have more hits in them, if they keep making records as consistently engaging this, they won't sink for a lack of them. This is the sound they've reached for since the very beginning, and they've never played it as gracefully or confidently as they do here”.
Agora é esperar que esteja à altura das expectativas.
The Rat

In The New Year

Tuesday, 19 August 2008

Lá se foi o ouro.......





Tou sem palavras.......se havia Portuguesa em quem acreditava (para o ouro!!) era Naide Gomes!!! Com uma época espectacular, campeã mundial de pista coberta etc e tal e......... não passou do 32º lugar!?! Oh Naide, que se passou contigo?! Eu até vou à bola contigo e até achava que, ao contrário de todos os outros atletas portugueses (que nos prometeram mundos e fundos), tu, sim, nos trarias uma golden medal.....

Agora a sério!? O que se passa com estes nossos atletas portugueses nos JO2008.....(i) um alega que a prova foi muito cedo e que a essa hora "só é bom é na caminha"; (ii) outro, que...."até explicava o mau resultado, mas nem vale a pena, as pessoas não percebem nada de tiro"; (iii) uma que, coitada, não só lutou contra a adversária, como também contra os árbitros; (iv) ainda uma que decidiu ir de férias, pois as africanas são fortes e não vale a pena....e que, além do mais, treinou foi para os 3000m obstáculos, não para os 5000m obstáculos...; (v) uma égua que se assustou, entrando em histeria, com medo do ecrã (!??!) e por fim (vi) uma que não é "muito dada a este tipo de competições"...........


Enfim....nunca ouvi/li tanta barbaridade junta...... UMA VERGONHA!!!!

... e hoje acordei assim!!!

Hoje vou deitar-me assim...







Monday, 18 August 2008

Dá-lhe Nessa!!!

Prometi abster de qualquer envolvimento com os Jogos Olímpicos, o boicote e tal... mas admito-o, não resisto a mencionar e celebrar aqui a primeira vitória lusa. Agora é fazer figas para que 5ª feira escrever o mesmo sobre o Nelson Évora.

Vá! Só mais 64 medalhas e empatamos com os EUA…

Wednesday, 13 August 2008

Olhó cêdêêêêê fresquiiiiiiinho!

Acabo de receber a encomendinha Amazon do mês: dou destaque a estas três novidades (pelo menos para mim) indie folk: Great Lake Swimmers, Moriarty e os Noah and the Whale (a propósito, aproveito para dizer que estou convencida de que o André Murraças me anda a ler a mente…).
Vá, ouçam estas jóias e não digam que vêm de cá...




Arisca....Eu?!

Arisco [De arenisco.] Adj.1. Abundante em areia, areísco, arenisco. 2. Que rejeita carinhos; arredio, tímido. 3. Esquivo, desconfiado. 4. Áspero, insociável, intratável; areisco, arenisco. 5. Diz-se do animal que não se deixa domesticar.

(?!?!!!!!!)

O que devo pensar deste comentário à minha (bela!) pessoa?!!

Confesso que não percebo se é bom ou mau, se calhar porque sou um bocado limitada, não sei...!

Vou pensar...e depois, um dia destes, digo-vos a que conclusão cheguei!

Mas, cá entre nós, confesso que estou na merdinha...deve ser para ai a centésima trigésima pessoa que diz tal coisa... porra!!!

...







Se a memória não me falha, já aqui vos falei da minha panca, mania ou, diria mesmo, problema que tenho em relação a certos números, certo?! Na altura falei-vos do amor que nutro pelos impares e do ódio que sinto pelos pares, certo?!

O número 13....é um número que me diz muito! Mesmo! Nasci num dia 13... (Sexta Feira, vejam lá o azar!) já vivi numa casa cujo número era o 13, no liceu o meu número era o 13 e por aí a diante…..

Quando é preciso escolher um número, o 13 está sempre lá! Em tudo! E se para muitos é o número do azar para mim, acreditem, é o meu pequenino!!! ….. uhmmmm…..Quer dizer....minto!!!! Nem sempre é o meu Nino, há um caso onde não o suporto….fico com suores frios, nervosíssima, em pânico!!!! Sim em pânico, ridícula ou não, é assim que me sinto cada vez que me apercebo que estou sentada numa mesa com mais 12 pessoas! Acreditem, fico em transe…. levanto-me, LOGO, da mesa! Acreditem, prefiro almoçar, jantar, lanchar... (whatever!)..sozinha a partilhar uma mesa com mais 12 pessoas! A única alternativa é, quando possível, afastar as mesas…. Ufaaa… aí sim fico mais descansada!

Pois bem…ontem não foi isso que aconteceu!!! Passei o dia, inteirinho, numa sala de reuniões, à volta de uma mesa, com mais – imaginem lá – 12 pessoas! Foi o pânico geral quando me apercebi! Acreditem!! Estava muito bem sentada e resolvi, não sei bem porquê (que estupidez a minha) contar quantas pessoas estavam naquela sala e, portanto, à volta daquela mesa…13!!! Pensei logo num plano mirabolante para sair dali….Mas o que podia eu fazer?! Era a mais nova, ainda por cima!!! Foi horrível! Não pude fazer nada… resignei-me a minha insignificância e por ali fiquei, o dia todo! Não dormi bem, não sei se foi por isso…se calhar já sou eu a especular! Mas uma coisa é verdade…ainda aqui estou para vos contar a história….mas, pelo sim pelo não, não me vá dar o badagaio nos entretantos, aproveito para vos dizer que gosto muito de todos vocês, caros leitores!!! Que me diverti muito ao longo destes, o quê, 5 meses?! Que gosto muito da minha co-blogger, Imelda....etc e tal......Enfim, só vos posso dizer que….Foi um prazer!!!

Puffffff

(Fui!)

Tuesday, 12 August 2008

Monday, 11 August 2008

Lembram-se disto?!!



Agora, descubram as diferenças:




Realmente, ele há coisas..... Agora lembraram-se de mudar a letra do "Atirei o pau ao gato"!?!! 

Agora a sério.... cresci a ouvir (e a cantar!!!) esta música e cá estou.... uma miúda, dos seus 2o e poucos anos (a idade certa não interessa para nada!), cem por cento equilibrada e com uma sanidade mental aceitável, para não dizer acima da média!!!! 

Gostava de saber, ao certo, o que pretendem com isto?!!! Dizer não à violência, ensinar as crianças a serem mais "amiguinhas" dos animais!?! Poupem-me!!! 

A propósito disto, lembrei-me de googlar o tema "não se atira o pau ao gato"...e os resultados estão à vista.....aqui, aqui, aqui e aqui !!! Sendo que isto é uma pequena amostra do material que podem encontrar!!!


Não me interpretem mal! Eu gosto de animais, juro que gosto, só não compactuo com estas palhaçadas! 


....antes de cometerem esta atrocidade (leia-se, mudar a letra desta música!!!...música esta que marcou a minha infância e a de mais de metade da população portuguesa) olhem, mas é,  para os jogos de computador, jogos das PSP e das consolas, os desenhos animados, para não falar nos Harry Potters desta vida....e deixem o pobre do gato e a dona chica em em paz!!!!"

Desculpem mas não me conformo!

E seguindo o mote lançado por Imelda.....

.....na minha "Wish List" deste mês está, como top dos tops, este pequenino:







....é uma coisa por demais!!! Era feliz com este....ou então com um daqueles pretos com calculadora - muito eighties!!!

Já sabem: eu este pequenino e Imelda estes!

Será que ninguém se chega à frente?!

Imelda e eu ficaríamos muito agradecidas....

Monday Sucks!!!


Tou de rastos... e não estou a (conseguir) dar uma para a caixa!

Na "Wish List" deste mês...


Isaac Hayes (1942-2008)

Dois obituários em 3 dias é obra. Depois de Bernie Mac, ontem foi o astro da soul, Isaac Hayes, que morreu em Memphis.
O cantor foi o primeiro artista african-american (lamento, mas politicamente correcto oblige) a ganhar um Óscar numa categoria que não as de representação: a banda-sonora do filme Shaft valeu-lhe em 1971 o prémio para Melhor Canção Original e dois Grammys.
O verdadeiro Soul Man, Hayes começou nos anos 60 como backing vocals de grandes nomes como Otis Redding e Sam & Dave, participou em dezenas de filmes e acabou como compositor e produtor de sucesso (designadamente de Alicia Keys). Pelo meio foi o brilhante Chef de South Park entre 1997 a 2003, sendo que, adepto da cientologia, acabou por abandonar a série (posso chamar aquilo uma série?) por considerar que “debochavam” aquela seita. Devo dizer que vi esse episódio (com o Tom Cruise a sair do armário…) e achei hilariante. Wrong move, Isaac.
Diz ainda a Blitz que Isaac Hayes, que completaria 66 anos dentro de 10 dias, casou 4 vezes, deixa 12 filhos, 14 netos e 3 bisnetos. Com números destes não se pode que o senhor não deixou legado…
RIP Isaac.

Saturday, 9 August 2008

Bernie Mac (1957-2008)

Admito que não era fã do Bernie Mac nem como actor nem como stand up comedian, mas fez-me muita impressão e pena ler que ele morreu esta madrugada, aos 50 anos, vítima de complicações de uma pneumonia.
RIP.

Friday, 8 August 2008

Descubra as diferenças!

Piadinha à parte, trabalho a 2 passos do local da ocorrência (em linguagem policial) e, vá lá!, por sorte, ontem não almocei na Valenciana nem levantei dinheiro naquele BES! À tarde, com a minha colega de gabinete, ignorantes do que se passava no mundo “lá fora” (em linguagem Big Brother), queixávamo-nos do cagaçal insuportável de sirenes e apitos que soavam constantemente: “Parece Nova Iorque! Mas só falta os Toc’Arrufar para que todo o ruído do mundo se concentre aqui, caramba!”. Ao que depois recebi um mail de um amigo a perguntar se o sequestro não era no BES ao pé de mim… “Sequestro!?”. Depois foi praticamente 1 hora a cuscar as notícias no site do Público e empoleirada na janela da casa de banho que tem uma vista muito privilegiada para a Marquês da Fronteira, como que um equivalente aos camarotes mas para assistir a crimes. Espectáculo. Só vos digo que estaciono o carro no parque de Campolide e quando o fui buscar à noite, tive de lutar contra o meu instinto popularucho para não me juntar a todo aquele aparato de polícia e mirones e ser entrevistada pela TVI…

Thursday, 7 August 2008

Quando pistas de atletismo são feitas em sweatshops…

Sempre fui adepta de desporto e os jogos olímpicos de verão sempre foram para mim uma emoção. Nas modalidades femininas adoro ver a ginástica rítmica (reminiscente da minha infância) e a natação sincronizada. Já nas modalidades masculinas prefiro a natação, os mergulhos e a ginástica artística (os meninos nas argolas e barras paralelas, ui! e os nadadores com as suas lindas costas, altos e espadaúdos! Mas vejo só pelo desporto, está claro…). Lembro-me de ter visto, em pleno calor alentejano com o meu primo, às tantas da manhã, a Fernanda Ribeiro ganhar a medalha de ouro em Atlanta e os meus pais contam a emoção que foi ver o Carlos Lopes ganhar a primeira medalha de ouro de sempre para Portugal.
Os Jogos Olímpicos de Pequim começam amanhã, dia 08/08/08 às 8:08 da noite. Diz que dá sorte, o número 8… É sempre bom quando um evento internacional desta dimensão é determinado por uma superstição de um povo. Começa logo bem! A verdade é que não estou minimamente entusiasmada com este JO. Não querendo ser pretensiosa ou armar-me em humanista justiceira, acho, sinceramente, que é muito difícil deixar de lado as questões de índole política e de consciência nestas olimpíadas. Reconheço que a China é das maiores civilizações do mundo, que temos muito a agradecer ao povo chinês ao longo de toda a História – desde a pólvora, ao fogo-de-artifício, a passar pela seda e o ábaco, sem esquecer os dizeres do Confucius e as boutiques com bens de primeira necessidade a preços e qualidade de última – e não digo que não a um belo pato-à-Pequim, com um crepe de entrada e gelado frito de sobremesa… Mas a terra do Jackie Chan é também um regime totalitarista, violento, militar e retrógrado, que viola praticamente todos os princípios básicos de direitos humanos, e dono de nível tóxico de poluição como resultado directo da alarve sobre-exploração económico-industrial. A questão do Tibet também é um turn-off, admito-o.
A verdade é que muita coisa mudou desde os tempos da Grécia Antiga, quando os jogos eram uma celebração e tributo aos deuses, e desde o pós-guerra, quando os jogos foram reinstituídos como uma mensagem de esperança, irmandade e paz. Aceito que ainda hoje os JO representam uma oportunidade única para os atletas, mas os interesses financeiros e políticos sobrepõem-se a qualquer outro e deixo aqui o meu protesto – por muito insignificante que seja.







Wednesday, 6 August 2008

E os outros meninos do momento…

... são quatro, vêm de Glasgow e são a minha mais recente descoberta das terras de sua Majestade. Se o Phil Spector fosse vive e tivesse crescido a ouvir Jesus & Mary Chain e os Smith, o álbum que produziria seria seguramente muito semelhante a este. O Guardian descreve-os como sendo “glazing pop wonder that sounds like a billion bucks”. Apresento-vos os Glasvegas:

Monday, 4 August 2008

Os meninos do momento...

... são quatro, vêm de Seattle e têm sido a banda sonora dos meus últimos dias. Se gostam de Panda Bear e Band of Horses, vocês vão adorar o Fleet Foxes.

Alexandre Soljenitsyne (1918-2008)

Morreu ontem, vítima de cancro, o autor de “Arquipélago Gulag”.
Alexandre Soljenitsyne será para sempre associado com o tenebroso passado da União Soviética que, durante décadas, foi das mais poderosas nações do mundo, a custo de muito sangue inocente, à lei do terror e tantos outros episódios horripilantes da era de Estaline (e os dos que seguiram).
Um Dia na Vida de Ivan Denissovitch” (de que, confesso, apenas li excertos) revelou ao mundo a realidade do sistema soviético, através do relato do quotidiano de um recluso nos gulags, baseado na experiência do próprio Soljenitsyne que esteve preso num campo de concentração na Sibéria de 1945 a 1953, apenas por ter criticado a directrizes bélicas de Estaline. Publicado em 1962, o texto abriu os olhos da URSS e do mundo para uma realidade até então desconhecida. Foi-lhe atribuído o Nobel da Literatura em 1970, mas Soljenitsyne declinou ir recebê-lo a Estocolmo com receio de não poder regressar à URSS, que ainda assim o privou da cidadania russa e expulsou-o, tendo Soljenitsyne fugido para a Suiça e depois para os EUA, regressando apenas em 1994, após implosão da URSS.
Mas Alexandre Soljenitsyne deve também ser lembrado como o conservador ortodoxo e retrógrado que era. Defensor acérrimo da cultura eslava, foi muito duro para com a sociedade de consumo, fomentando o saudosismo (ainda até há muito pouco tempo patente) do regime comunista. Defendeu inclusive a guerra da Tchetchénia, reclamando a pena de morte para os independentistas, e era-lhe conhecido o penchant anti-semita.
A prova de que nem mesmo os mais eminente heróis são perfeitos.

До свидания, Александр Солженицын.

Friday, 1 August 2008

Viva o Zeca Afonso or Death and All His Friends

Muito por influência da minha Mãe sou grande apreciadora de folk e, em particular, de música de intervenção dos anos 60 e 70. O amontoado de vinis lá em casa era composto por nomes como Serge Reggiani, Joan Baez, Victor Jara, o incontornável Bob Dylan e, claro está, Zeca Afonso que, se fosse vivo, fazia amanhã 79 anos.
Muitos dos artistas dessa época, como o Zé Mário Branco, o Adriano ou o Fausto, pararam no tempo e dificilmente nos identificamos com as canções que fazem hoje (excepção feita ao Sérgio Godinho que, ainda assim, conseguiu acompanhar minimamente a mudança dos tempos). As protest songs de hoje, quer sejam contra o Iraque quer contra a fome no mundo ou outra qualquer causa nobre, são lamechas, todas iguais, na onda do “We are the world” e invariavelmente com a participação do Bono Vox. E o facto da música de intervenção de referência em Portugal dos últimos anos ser o “Timor” do Luis Represas diz muito sobre o estado actual das coisas…
Fico-me assim pelos idos anos do peace and love e defendo que, independentemente da orientação política de cada um é impossível não reconhecer o imenso talento do Zeca Afonso e a força das letras e músicas que ele criava. O Grândola Vila Morena (que relegou o “E Depois do Adeus” do Paulo de Carvalho como referência do 25 de Abril para o esquecimento), por muitas vezes que seja tocado, explorado e associado ao cliché revolucionário, é uma canção potente: aqueles passos na gravilha dos soldados a marcar o ritmo arrepiam-me sistematicamente. Adoro quando a minha Mãe, que andava na faculdade nos anos quentes que antecederam ao 25 de Abril, conta como assistia aos concertos clandestinos do Zeca Afonso e, já adulta, ao último espectáculo que ele deu no Coliseu em 1983.
Assim, em homenagem ao senhor que tinha o nome do meu avô, as palavras ásperas e a voz doce, e uma vez que tenho de vir ao escritório trabalhar, venho apetrechada com os CDs do grande Zeca Afonso e vou ficar a ouvir Cantigas de Maio, A Morte Saiu à Rua, Venham Mais Cinco, Os Vampiros, Maio Maduro Maio e a Canção de Embalar. E tantas outras.
Bom fim-de-semana.

"O problema não está em ti, está em mim!"


(Está para existir o homem que não use esta frase! Neste artigo de opinião, que aqui vos deixo, António Lobo Antunes chama-nos, e bem, a atenção para o facto de as mulheres serem as corajosas - das relações - e os " homens uns cobardes" !)


Cliquem e Leiam:

[António Lobo Antunes, in Visão]

Pobre menina rica

Disse um dia a elegantíssima Duquesa de Windsor, Mrs. Wallis Simpson, “a woman can never be too rich or too thin”.
Pelos vistos quem não pensa assim é a princesinha do white trash, a Sô Dona Britney Spears que não está para apertar o cinto, no sentido financeiro, para poder apertar o cinto no sentido físico.
Parece que, depois de uma fotografia da Britney ter gerado rumores de uma terceira gravidez, a pequena não foi de meias medidas e contratou um nutricionista por €6.370, um personal trainer por €5.100 e um coreógrafo particular por €2.550… por mês! E isto tudo apesar de estar à beira da falência: a instituição de caridade da “cantora” (que neste momento é, ela própria, um verdadeiro charity case!) está completamente endividada e, depois de ter perdido a custódia dos filhos, ainda aumentou a pensão que ela paga ao “K-Fed”.
Ó Britney ‘miga, ouve-me: acordas de manhã, comes um muesli e vais correr uma horinha, comes um peixe grelhado ao almoço, uma sopa à noite e visionas muitos telediscos do teu ex, JT. Aí tens o teu pacote “PT”+“nutricionista”+“coreógrafo” e agora passa para cá os 14 mil euros, ó faxavor.
Justificam os PRs da “cantora” (lamento, mas insisto nas aspas…) que “Britney ganhou peso devido ao stress da luta pela custódia dos filhos e devido à medicação para o distúrbio bipolar”. Ponto um: não sabia que agora a combinação de álcool, droga, privação de uma infância normal, promiscuidade e imbecilidade astronómica se apelidava de “distúrbio bipolar”. Segundo: last I heard, o stress causa a perda de peso…
E eu que pensava que ela andava sem cuecas porque era uma porca, vai-se a ver era para perder peso… Sempre são aí uns 20 gramas!