Thursday, 31 December 2009

Auld Lang Syne


Não acredito que já passou um ano” deve ser das frases mais ouvidas hoje mas, caramba, é tão verdade. É que assim, sem mais nem menos, lá se passou mais um ano num abrir e fechar de olhos.
Não sei muito bem o que dizer deste estranhíssimo 2009. Sinto que o vivi numa apatia, com a alma dormente e indiferente ao que acontecia e me aconteceu… Foi um ano sui generis: nem mau nem bom, foi… diferente. Mas o balanço é, ainda assim, positivo: acabei a p*ta da agregação, o FCP sagrou-se tetra campeão, a minha irmã ficou grávida do segundo filho, o meus pais compraram uma casa e venderam outra, mudei de casa, fiz uma viagem inacreditável pela América Latina, conheci pessoas incríveis e reencontrei amigos que não via há décadas…
Sinto que 2009 foi um rascunho, um primeiro draft para um 2010 exemplar, limpinho e sem rasuras. Foi a maqueta para a obra prima, o aperitivo que aguçou o apetite para o festim, o teaser para um ano que será em grande. Espero. Desejo-o sinceramente do fundo do meu coração. Estou cheia de esperança para o Novo Ano. É preciso saber jogar com as cartas que a vida nos dá e eu vou fazer um full house. Vou empenhar todos os esforços para ser feliz, saudável e sentir-me realizada. São pelo menos essas as minhas resoluções e grande parte da dúzia de desejos que vou pedir com cada passa nas doze badaladas logo à noite.
Sou adepta de resoluções, e mais ainda de raramente conseguir cumpri-las!, mas não consigo deixar de as fazer, ano após ano. Há umas tantas resoluções que se mantêm, ora porque são a repetir ora porque falharam em anos anteriores. Este ano não é excepção.
Segue o rol de projectos e decisões para o ano do tigre:

1. Ser feliz. Deixar o pessimismo e bad vibes para trás e sorrir para a vida e perante os desafios que ela nos lança.

2. Ser menos precipitada: pensar duas vezes antes de falar e agir…

3. Fazer o que me apetece. Sempre pensei que ser altruísta era uma qualidade mas depois de vários episódios ao longo deste ano apercebi-me que não compensa. Caguei para tudo e todos.

4. Poupar dinheiro. Porque é uma necessidade absoluta e gasto a maioria do meu orçamento dinheiro em coisas que não devia.

5. Ir mais vezes correr. Adoro e não o faço vezes suficientes.

6. Discriminar horas todos os dias no Juris (os advogados sabem de que falo).

7. Resolver uma vez por todas o meu litígio com a Segurança Social: aaarrgh!

8. Fazer um corte de cabelo radical.

9. Ir mais vezes ao teatro. Não me lembro da última peça que fui ver, é uma vergonha.

10. Ir mais vezes ao Dragão: FCP rula!

11. Não me baldar tanto à missa.

12. Vender o meu carro.

F e l i z A n o N o v o a t o d o s !

Wednesday, 30 December 2009

O Post Mais Deprimente Do Ano


Vic Chesnutt



Walter Cronkite



Vasco Granja



Frank McCourt



Stephen Gately



Bobby Robson



Robert Enke


Raúl Solnado



Pina Bausch



Patrick Swayze



Michael Jackson



Mercedes Sosa



Estelle Bennett



Mary Travers



Les Paul



John Updike



John Hughes



João Aguardela



Jerry Fuchs



Jay Bennett



Maurice Jarre



Farah Fawcett



Dash Snow



Claude Lévi-Strauss



Claude Berri



Brittany Murphy



Beatrice Arthur



J. G. Ballard



António Sérgio



Merce Cunningham



Raúl Alfonsín



Alain Baschung



Irving Penn



Lucy (In The Sky With Diamonds) Vodden



José Calvário


Quote Unquote



“The best love affairs are those we never had”

Norman Lindsay

“Sex relieves tension - love causes it”
Woody Allen

“A story has no beginning or end; arbitrarily one chooses that moment of experience from which to look back or from which to look ahead”
Graham Greene

“Don’t cry for a man who left you, the next one may fall for your smile”
Mae West

“I love sleep. My life has the tendency to fall apart when I’m awake, you know?”
Ernest Hemingway

“Maybe this world is another planet’s hell”
Aldous Huxley

“Well behaved women rarely make history”
Marilyn Monroe

“Always tell the truth. Then you don’t have to remember anything”
Mark Twain

“Anyone who lives within their means suffers from a lack of imagination”
Oscar Wilde

“Be nice to nerds. Chances are you’ll end up working for one”
Bill Gates

Monday, 28 December 2009

Vic Chesnutt (1964-2009)

Fechar O Ano Com Chave De Ouro

Ao passar em revista a playlist que me acompanhou durante este ano para compilar os best of de 2009 e escrever os posts que vos tenho deixado nos últimos dias, voltei a descobrir umas pérolas que andavam escondidas no meu i-pod, nomeadamente uma canção que é o equivalente a uma receita para a perfeição: basta juntar dois cantautores geniais, uma música irrepreensível, com uma pitada de humor e uma boa dose de acústico. O resultado: um dos melhores covers de sempre, Bon Iver a fazer uma interpretação do The Park da Feist.
Simplesmente perfeito.

Wednesday, 23 December 2009

Golão

Apesar de não ser a fã #1 do Cri Cri, tenho de admitir que é com todo o mérito que este golo foi eleito o melhor do ano. Infelizmente não vi este jogo ao vivo mas uma coisa é certa: quando está em causa fazer o melhor, aparece sempre o FCP e o Dragão! Devem achar que é por acaso, não?...

Tuesday, 22 December 2009

Local Natives


O ano está mesmo a acabar e as listas dos melhores álbuns de 2009 já estão findas e fechadas a sete chaves. Ainda assim continuo a descobrir pequenas pérolas que, pelos vistos, já acariciaram os ouvidos de muitos nos últimos meses mas que só agora descobri.
Os Local Natives, um quinteto de Los Angeles, lançaram este verão o álbum de estreia, Gorilla Manor, que era o nome da casa que a banda partilhava em Silver Lake.
Uma espécie de simbiose entre os Vampire Weekend e os Fleet Foxes, foram uma das coqueluches do SXSW. E com todo o mérito.